Equipa - Team


Luís Costa Júnior (Director do Museu Nacional de Geologia) 

Luís Costa Júnior é um dos três elementos que lidera o projecto PalNiassa desde o primeiro momento. Para além do cargo de Director do Museu Nacional de Geologia acumula funções governamentais em Moçambique. O seu entusiasmo, dedicação e empenho em relação ao património geológico do país resultou, por exemplo, na remodelação do Museu Nacional de Geologia e na inventariação mais completa até hoje do património geológico moçambicano.

Luís Costa Júnior is one of the three leaders of Projecto PalNiassa from the first day. Besides his role as the Director of the National Museum of Geology he is also instrumental on governmental decisions concerning geology and geological resources in Mozambican. His enthusiasm and dedication towards the geological heritage of his country has resulted on, for example, reorganization of the National Museum of Geology (Maputo) exhibit and on the most complete survey of the geological heritage of Mozambique.








Ricardo Araújo (Museu da Lourinhã, Southern Methodist University)

Neste momento Ricardo Araújo está a fazer o doutormento nos Estados Unidos da América, na Southern Methodist University em Dallas, Texas. Os seus interesses focam-se na paleontologia de vertebrados africanos, tendo por orientador um dos mais conceituados paleontólogos na área: Louis L. Jacobs. Para além de actividade de campo em Moçambique, também faz escavações regulares em Angola, Estados Unidos e Portugal.

At this moment Ricardo Araújo is doing a PhD in the United States, at Southern Methodist University, Dallas, Texas. His interests focus on African vertebrate paleontology having as a PhD adviser one of the most prestigious paleontologists on this subject: Louis L. Jacobs. Also he has been doing regular fieldwork in Angola, US and Portugal.




Rui Castanhinha ( Museu da Lourinhã, Instituto Gulbenkian de Ciência)

Começou os seus estudos em Biologia na Universidade de Évora tendo concluido a sua tese final sobre Assimetria Bilateral em Dinossauros. O seu interesse em estudar a evolução das espécies tornou-o desde então um investigador do Museu da Lourinhã onde, depois de ter ganho uma bolsa da Jurassic Foundation, estuda vários dinossauros portugueses, em especial os ovos e embriões de dinossauros do Jurássico da Lourinhã
Ao longo dos últimos anos, participou e liderou várias campanhas de escavações de vertebrados fósseis em vários locais do país bem como em Angola e Moçambique. 
Neste momento faz parte do programa doutoral do Instituto Gulbenkian de Ciência onde faz investigação em evolução do desenvolvimento usando, como organismo modelo, embriões de galinha. 

Rui began his studies in biology at University of Évora and worked at the Museum of Lourinhã where he completed his final thesis about the left-right asymmetry in Dinosaurs. His interest in studying evolution made him an intern researcher at the Lourinhã Museum where he studies various portuguese dinosaurs. In 2006 he founded a scientific journal called Journal of Paleontological Techniques and became its editor. Two years later, having won a scholarship from the Jurassic Foundation for this purpose, he started to studied the dinosaur eggs and embryos from the Jurassic of Lourinhã. Over the last years, Rui participated and led several paleontological campaigns in various locations around Portugal as well as in Angola and Mozambique.

Right now he is in the doctoral program at Instituto Gulbenkian de Ciência where he studies evolution of development using chicken embryos as a model organism.




Formação

Salimo F. Mário Mu
rrula (Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian / Intern from the Calouste Gulbenkian Foundation)

Nasceu a 3 de Julho de 1977, em Nampula, Moçambique. Em 1999 mudou-se para a província de Tete onde concluiu o curso básico de eletricidade e mais tarde ingressou no Instituto Médio de Geologia e Minas em Moatize, capital mineira de Moçambique, onde estudou geologia entre os anos 1999 e 2003. Participou no senso mineiro na província do Niassa. Entre os anos 2005 a 2007,trabalhou na empresa geológica de empreendimento e consultaria (Gondwana) ingressando nos quadros do estado em 2009, ficando afeto na direção provincial do Niassa norte de Moçambique. Encontra-se em formação, desde Janeiro de 2010, no Museu da Lourinhã, em Portugal, através de um protocolo entre o Governo de Moçambique, por intermédio do Museu Nacional de Geologia de Moçambique e o GEAL – Grupo de Etnologia e Arqueologia da Lourinhã, financiado com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito do projeto PalNiassa. Está a adquirir conhecimentos e experiência em técnicas de preparação de fósseis e produção de réplicas, tratando fósseis de vertebrados do Pérmico de Moçambique.




Nelson Ernesto Nhamutole (Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian / Intern from the Calouste Gulbenkian Foundation)

Com objectivos bem assentes de ser um dos investigadores e um dos primeiros paleontólogos moçambicanos, Nelson Nhamutole cursou geologia na Universidade Eduardo Mondlane. Depois de assistir a uma palestra proferida por Rui Castanhinha, Ricardo Araújo e Salimo Murrula no Departamento de geologia da UEM no ano 2011 sobre as descobertas nas expedições anteriores (sinapsídeos), e tendo em conta a necessidade que o país tem de ter pessoas especializadas, decide concorrer a uma vaga aberta no Projecto PalNiassa.
Actualmente, é funcionário do Museu Nacional de Geologia e é detentor de uma bolsa de preparação de fosseís concedida pela Fundação Calouste
Gulbenkian. Fez parte da expedição PalNiassa 2012 onde desenvolveu o seu fascínio pela investigação paleontológica.









Parceiros



Moçambique 

Lopo Vasconcelos, Sociedade Geológica de África


Nasceu em Lourenço Marques (hoje Maputo), Moçambique, tendo-se Licenciado em Geologia na Universidade de Lourenço Marques em Dezembro de 1975, escassos meses após a independência. Defendeu o doutoramento em Geologia na Universidade do Porto em 1995.
Imediatamente após se ter licenciado em Geologia, ocupou cargos de direcção a nível do Departamento de Geologia.
Fundou a Associação Geologica Mineira de Mocambique (AGMM) em 2003, tendo sido o seu Presidente até 2010. Foi Vice-Presidente do ICCP (International Committee for Coal and Organic Petrology) de 2003 a 2011. É actualmente Vice-Presidente da Sociedade Geológica de África, desde 2004, e é nessa qualidade que mantem contactos directos com o projecto PalNiassa. É ainda Editor da Newsletter da mesma Sociedade desde 2011.




Mussa Achimo, Universidade Eduardo Mondlane 
   


Lucília Chuquela, Directora do Museu Nacional de História Natural

Luís Macuango, Guia Local






Portugal 

Gabriel G. Martins, Instituto Gulbenkian de Ciência


Rui Martins, Instituto Tecnológico e Nuclear (ITN) e Museu da Lourinhã